Foz do Iguaçu em fevereiro: como aproveitar durante o mês?

Cataratas, Vale dos Dinossauros, visita às ruínas jesuíticas, bares de gelo – há muitas atrações para curtir Foz do Iguaçu em fevereiro. Afinal, é durante a primavera/verão que a visita às cataratas do Iguaçu fica mais interessante por conta da vazão de água.

É também durante essa época do ano que o índice de chuvas é maior. Então, quem quiser ver o espetáculo das quedas d’água e as comportas de Itaipu abertas, vale a visita no verão.

Mas se você prefere apreciar a beleza da Garganta do Diabo, vale a pena visitar Foz do Iguaçu em abril ou em qualquer mês de outono/inverno. É que durante o verão, a Garganta do Diabo fica menos visível devido ao spray d’água das cataratas.

No entanto, se você quer viajar para Foz do Iguaçu no verão, a dica é incluir nossas dicas em seu roteiro de viagem. Dá para curtir eventos artísticos e históricos entre o Brasil, Paraguai e Argentina. Então, vamos conferir?

O que fazer em Foz do Iguaçu em fevereiro?

Se você gosta do calor e não se importa de sair molhado, visitar Foz do Iguaçu em fevereiro é uma ótima ideia. Isso porque é praticamente impossível se aproximar das cataratas do Iguaçu e não se molhar por conta do vapor d’água.

Outra atração difícil de recusar é o passeio aos famosos bares de gelo (tanto o lado argentino quanto brasileiro). Como as temperaturas em Foz do Iguaçu costumam ser altas nessa época do ano, é bom sentir um pouco do inverno nesses bares. Mas é sempre bom consultar o clima para os dias de sua viagem, viu?

Para ter certeza de quais atrações são melhores para visitar em fevereiro, separamos algumas dicas de lugares para você curtir em Foz do Iguaçu. Vamos lá!

1. Museu de Cera, primeira parada em Foz do Iguaçu em fevereiro

Assim que você chega em Foz do Iguaçu, dá com a vista do Museu de Cera, uma das atrações do Parque Dreamland. Logo de cara, uma estátua de um robô saído do filme Transformer e uma Ferrari lhe dão as boas-vindas.

Mas é no interior que a mágica acontece. Cada sala contém uma personalidade famosa e a sua apresentação é feita sob luzes e som. Um espetáculo que leva os viajantes a acreditar que estão diante de uma pessoa de verdade.

E isso é bem normal.

Pois as réplicas estão em tamanho real, seja de uma personalidade da música (Elton John), do esporte (Ayrton Senna), da realeza (Rainha Elizabeth), ou até de desenho animado (Homer Simpson).

Um passeio que rende boas e divertidas fotos!

2. Maravilhas do Mundo

Assim como o Museu de Cera, o local guarda um espaço muito valioso para os amantes da cultura mundial. Trata-se de Maravilhas do Mundo, uma atração que reúne maquetes de monumentos históricos de vários países.

Se você é fã não só da cultura mas também de diferentes arquiteturas, vai gostar de conhecer as miniaturas do Coliseu de Roma, das Pirâmides do Antigo Egito, do Taj Mahal, e da Casa Branca.

Já se você aprecia estátuas e também nunca pôde tirar uma foto perto delas, a oportunidade é agora: tem Cristo Redentor e Estátua da Liberdade (ainda que apenas em maquete).

Apesar do bom trabalho e da iluminação que deixa tudo mais atraente, pode acontecer de não ser favorável a boas fotos. Mas não custa tentar, não é?

3. Vale dos Dinossauros

Uma das coisas legais para se fazer em Foz do Iguaçu em fevereiro é visitar o Vale dos Dinossauros, também situado no Parque Dreamland.

Ainda que a chuva possa atrapalhar um pouco, lembre-se que você estará na selva e não importa se faz chuva ou sol, o seu objetivo é um só: “escapar” dos “selvagens” dinossauros animatrônicos, enquanto desliza por uma tirolesa de 95 metros de comprimento!

E isso não é tudo!

Para alcançar a tirolesa, você precisa subir uma ponte de 60 metros de altura e ficar lado a lado do maior dinossauro que já pisou na Terra: o Giganotossauro.

Claro que essa aventura faz parte do pacote do Dino Adventure, mas para ter acesso a ele, é preciso pagar o ingresso para o Vale dos Dinossauros também.

4. Bares de Gelo

Depois de tanta aventura com os dinos do Parque Dreamland, chegou a hora de se refrescar em um dos bares mais inusitados de Foz do Iguaçu: os famosos bares de gelo.

Na parte do Brasil, há o Dream Ice Bar e o Ice Bar Brasil; na Argentina, o nome é Ice Bar Iguazú. Todos eles possuem o mesmo esquema: você paga um ingresso que dá direito de você ficar lá dentro, com temperaturas negativas, por 30 minutos.

A bebida é liberada, desde refrigerante para os menores de idade a coquetéis para os adultos. A dica é ir de calça comprida e tênis (ou calçado fechado), ainda que os bares ofereçam luvas, casacos e gorros. Afinal, você não quer congelar em pleno verão, não é?

Mas engana-se quem pensa que o bar de gelo é só por conta das temperaturas; na verdade, tudo é feito de gelo, desde os copos, passando pelas cadeiras, paredes, até as estátuas. Não é à toa que é bastante requisitado.

5. Cataratas do Iguaçu, cartão-postal de Foz do Iguaçu

Saiu para as cataratas é para se molhar! Um dos maiores espetáculos em Foz é ver as cataratas do Iguaçu em pleno vapor – literalmente.

É no verão que a queda d’água das cataratas fica mais forte e bonita, sendo contemplada por turistas que não se importam de se molhar. Para os aventureiros, no entanto, a coisa é um pouco mais radical: um passeio de bote com o Macuco Safári (brasileiro) ou Gran Aventura (pelo lado argentino) para chegar bem pertinho das cataratas.

O passeio em ambas tem poucas diferenças. O passeio de bote com o Macuco Safári não possui restrição de idade e você pode escolher se quer chegar perto ou não da tromba d’água.

Já o Gran Aventura é para os amantes de fortes emoções. Somente pessoas acima de 12 anos podem experimentar esse passeio radical, cujas paradas são sempre próximas das cataratas do Iguaçu. Isto é, você vai se molhar com certeza!

6. Itaipu, a segunda maior hidrelétrica do mundo

Depois de tanta aventura com Macuco Safári ou Gran Aventura, que tal conhecer as usinas de Itaipu, a segunda maior hidrelétrica do mundo, perdendo apenas para as Três Gargantas, na China?

O local é um dos maiores pontos turísticos brasileiros e oferece um belo menu de passeios, mas se você quiser aproveitar tudo, vai precisar passar o dia todo na usina. Mas vale a pena, viu?

Há a visita-padrão, na Vista Panorâmica de Itaipu. Você tem a chance de ver a usina de vários ângulos e ainda conhecer os fundamentos da geração de energia.

Já o Circuito Especial leva os viajantes para o interior da usina. Lá, qualquer pessoa acima de 14 anos tem acesso a sala de controle e das turbinas.

Outros passeios para quem curte história e ecologia, é o Ecomuseu e o Refúgio Ecológico. Enquanto o primeiro conta a história da região até a construção da usina hidrelétrica, a segunda revela exemplares resgatados da mata atlântica, e que não podem mais viver na natureza.

7. FlyFoz

Se as condições atmosféricas estiverem boas em fevereiro, é uma boa se divertir com o programa do FlyFoz em Foz do Iguaçu.

Trata-se de um salto duplo de paraquedas a 20 mil pés, e uma queda livre de 30 segundos. Em seguida, com o paraquedas aberto por 7 a 8 minutos, aprecie a vista da usina de Itaipu e das cataratas – ao longe.

A atividade do FlyFoz dura aproximadamente 3 horas e é perfeita para os viajantes mais aventureiros. Só não se esqueça de verificar as condições climáticas, pois esse tipo de passeio é melhor sem chuvas, claro.

8. Compras no Paraguai e Argentina

Ao viajar para Foz do Iguaçu em fevereiro, um dos maiores atrativos é fazer compras no Paraguai e na Argentina. No Paraguai, os shoppings e lojas de ruas têm preços convidativos e lembram a 25 de Março, em São Paulo.

Já na Argentina os preços podem não ser o ponto alto das compras, mas quem gosta de um padrão internacional – e está com as finanças tranquilas – poderá levar para casa mercadorias de qualidade legítima.

A nossa dica é viajar com um guia turístico para não cair em roubada na hora de fazer suas comprinhas. Além disso, prestar atenção na cota individual de gastos para ambos os países é importante.

Atualmente, o limite de compras é de 500 dólares por pessoa e por mês. Então, se você gastar 300 dólares na Argentina, só terá um limite de 200 dólares para gastar nas lojas paraguaias.

O limite, como mencionado, é individual e não existe isenção pela compra de um produto para uso pessoal, tal como acontece nas viagens aéreas.

E se eu ultrapassar a cota?

Apesar de haver limite, você não está proibido de ultrapassar essa cota, viu? Só fique ciente de que o  imposto é de 50% em cima do valor superior. Por exemplo, se for um eletrônico de 700 dólares, você paga 50% em cima de 200 dólares.

O imposto deve ser pago na Receita Federal da fronteira do Brasil na Ponte da Amizade (Paraguai) ou na Ponte Tancredo Neves (Argentina).

Agora, se você não procurar a Receita Federal e for pego na vistoria, o valor da multa é de 100% sobre o excesso, pago em reais. Então é melhor deixar para correr riscos nos passeios de bote em Foz do Iguaçu, não é?

9. Missões na Argentina e Paraguai

Aproveitando sua passagem pelos países da Argentina e Paraguai, que tal participar de missões? Foz do Iguaçu em fevereiro traz dois passeios magníficos para quem gosta de antiguidade: ruínas jesuíticas de San Ignácio Miní (Argentina) e Trinidad & Jesús (Paraguai).

O passeio fica melhor se estendido por dias, já que à noite há um show de luzes à parte em San Ignácio. Além disso, é possível transitar pela província de Misiones, a versão amazônica deles e conhecer uma Argentina silvestre.

Já Trinidad & Jesús são duas missões paraguaias consideradas como Patrimônio da Humanidade. Os locais foram abandonados por 200 anos e ainda mantêm vestígios de uma missão jesuítica, incluindo cemitério, claustro, torre de vigia e igrejas.

Se você nunca tinha ouvido falar, não deixe de incluir essas missões em seu roteiro de viagem para Foz do Iguaçu.

Preços dos ingressos para Foz do Iguaçu em fevereiro

Os preços podem variar com o tempo, então é sempre bom verificar com antecedência o valor dos ingressos, tanto aqueles que podem ser comprados online quanto presencialmente.

Abaixo, fizemos uma lista de preços (agosto/2021), considerando também que alguns passeios estão fechados devido à pandemia, como as compras e a missão na Argentina.

  • Dreamland (Museu de Cera, Dreams Ice Bar, Vale dos Dinossauros e Maravilhas do Mundo): R$94 (inteiro) e R$47 (meia-entrada). O Dino Adventure tem um preço à parte: R$80 e R$40 (inteiro e meia-entrada respectivamente);
  • Cataratas do Iguaçu: R$50 (brasileiro) e R$83 (estrangeiro);
  • Macuco Safári: a partir de R$297;
  • Gran Aventura: 4.000 pesos.
  • Itaipu:
    Vista Panorâmica: R$42 (inteiro), R$21 (crianças de 6 a 11 anos / idosos acima de 60);
    Circuito Especial: R$82 (inteiro), R$41 (maiores de 60);
    Ecomuseu: R$18 (inteiro), R$9 (crianças entre 6 a 11 / maiores de 60);
    Refúgio Biológico: R$30 (inteiro), R$15 (60+);
    Iluminação da Barragem: R$45 (inteiro), R$22,50 (60+).
  • FlyFoz: R$890 por pessoa. Acima de 95kg a 130kg, a pessoa precisa passar por avaliação;
  • Missões em San Ignácio Miní: 200 pesos;
  • Missões em Trinidad & Jesús: 300.000 guaranis (equivale a 5 dólares).

Clima e temperatura de Foz do Iguaçu em fevereiro

O clima em fevereiro, assim como em toda primavera e verão (outubro a março) em Foz do Iguaçu, é úmido. Há muito mais chuva, mas em compensação, é muito melhor de visualizar as cataratas do Iguaçu.

A temperatura fica em torno dos 30º, portanto, não deixe de levar um protetor solar e trajes de banho para os passeios de bote.

Inclua Foz do Iguaçu em seu roteiro de viagem!

Gostou das dicas de atrações para visitar Foz do Iguaçu em fevereiro? Então é só não esquecer que em época de pandemia, nem todas elas estarão funcionando. Além disso, muitos ingressos estão à venda apenas na forma online.

Portanto, anote as atrações que mais lhe agradaram, prepare a sua mala e boa viagem!